Reticências...

Há dias penso e tento escrever algo sobre isso, mas ao mesmo tempo que quero aliviar esse sentimento, também não consigo defini-lo ao certo.

Como é estar no último ano da faculdade? Nunca pensei que fosse tão difícil responder essa questão. É uma mistura de sentimentos, de felicidade, de tristeza, de agonia, de medo, sentimento de impotência diante de situações do dia a dia, tudo e nada ao mesmo tempo.

Às vezes alegro-me, afinal estou concluindo uma fase muito importante da minha vida. Penso nas fases de mudanças da vida, de novos amigos, e, na maioria das vezes, também trazem separações, que com o tempo podem ser permanentes. E bate a tristeza. Além disso, terminar especificamente a faculdade é uma transição de vida do jovem (mas ainda adolescente) ao tão esperado adulto jovem, mas cheio de responsabilidades mais chatinhas do que costumamos ter por ai. Querer de fato mudar de fase é sair definitivamente da sombra de pais, professores, faculdade. Voltar pra casa dos pais não teria o mesmo impacto; seria só mais umas novas férias, e não é essa a intenção. Sustentar-se por si mesmo, esse é o momento.

E o novo assusta. Muito.

Da mesma maneira que passei por um primeiro ciclo de estágio horrivelmente, pensando diversos momentos em desistir, com ciúmes e invejas alheias por parte de superiores que incomodam, hoje vivo um outro ambiente de trabalho, sendo muito bem recebida e acolhida por uma equipe sociável e empática, como todo bom profissional de saúde.

Hoje sinto que aprendi muito com o estágio social, e que irei aprender muito mais, e vejo que apesar de estudar tanto e já saber tanto, ainda não sei nada. Quanto mais se estuda, mas se tem a sensação de não saber nada. Recomeço outra vez, muito mais esperançosa, e de longe já vejo se aproximando o fim. Aproveitar ao máximo nosso tempo virou regra, por que me dei conta de que vou perder. E o velho provérbio se reafirma.


Vamos viver tudo que há pra viver!

E vamos nos permitir!

Comentários

  1. O medo pode se aproximar de você, acontece sempre, mesmo com pessoas que aparentemente não têm medo isso acontece.
    Mas saiba que em todas as etapas de sua vida estaremos te apoiando, embora às vezes não pareça. Podemos ser a morada, a bengala, ou o que você tiver precisando...

    Te amo!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Sobre um ano difícil, um ano pesado.

Por que namoramos?

Sobre as pessoas que nos cercam...