Prioridades!

O grande problema de minhas maiores lágrimas derramadas sou eu mesma! A culpada! Não que eu cause sempre situações em que eu me arrependa, apesar de que algumas vezes essas situações acontecerem sem termos como voltar. Mas prefiro acreditar que o tentar é indispensável para se viver. Porém, como já havia dito, não é esse o motivo do coração apertado, e sim que eu sempre achei que as minhas grandes prioridades seriam semelhantes aos que me cercam. Sempre achei que o respeito estaria num altar, acima de tudo, e que os sentimentos estariam juntos, apenas um milímetro abaixo. Achei que as pessoas estariam acima das coisas, e o amor acima de tudo. Mas foi mera ilusão acreditar nisso, e insistir nessa idéia só vem me machucando dia a dia, desilusão a desilusão. Eu queria um mundo perfeito, e ainda acreditava nisso. Pessoas que respeitam as outras à sua volta, por que mesmo sem conhecer e ter sentimento por elas, eu as respeito. Pessoas que tem a incrível visão raio-X que permite ver as outras pessoas como humanos, e não como funcionários, animais ou objetos de prazer. Pessoas que sabem que humanos possuem sentimentos, e que choram, e que dói. Pessoas que sabem perdoar, e perdoam demais, mas que também sabem que as pessoas um dia cansam de perdoar, ainda mais se o erro cometido é sempre o mesmo. Queria um mundo onde uma família fosse uma família. Onde seu significado de ‘nunca abandonar’ fosse levado à sério e à risca. Abandonar não é apenas ‘deixar na rua’, ‘sem abrigo’. Mas também quando aos poucos, a mesma família esquece do ‘Bom dia’, ou do ‘olá, como está?’, ‘como foi o seu dia?’. E há muito tempo não escuto nenhuma dessas frases de ninguém da minha família. Nenhuma delas. Duvido também que alguém se importe com o que eu escrevo aqui, apesar de todas saberem a existência deste. E se um dia lerem, será para debochar e nada mais que isso, por que tudo que escrevo vira piada. Também tinha a ilusão da amizade. Mas aos poucos, um a um, vai destruindo a confiança que eu os depositei. Como eu disse... Talvez fosse erro meu depositar a confiança. Mas para mim, quando é criada uma amizade, daquela que você sabe que é mais forte, uma confiança é depositada, digamos que todos começam com 80%. E alguns fortalecem essa amizade, e chegam ao seu máximo, mas apenas alguns. A grande maioria, aos poucos vai acabando, diminuindo... Chega até os 40% e ai, pronto, apronta uma daquelas, e deixa no negativo a minha confiança. Até meu amigo esqueceu que sou uma pessoa. Até aquele que eu achava que era meu amigo.

Hey, caro Amigo...
Cuidem da confiança que deposito em vocês! Eu sinceramente não queria vê-la acabar, e espero que você também não! Amizade e Respeito caminham juntos! E por favor, caro amigo... Não esqueça que eu também sou humana. Humana.

E por favor. Se for para deboches, apenas finja que não leu e continuamos nossa vida pacata normalmente. Como sempre aconteceu.
AAh é...e pense na foto como "amigoooo estou aqui", musiquinha do toy store!
Abraços apertados aos que passarem por aqui
=*

Comentários

  1. texto escrito exatamente após duas brigas com dois grupo diferentes de amigos... ufaa

    ResponderExcluir
  2. Olá Dannyelle, bom dia!!!
    Como está???
    Como foi o seu dia ontem???

    Só passei pra dizer que eu te amo!!!
    Sempre...

    ResponderExcluir
  3. bom Danny vou ser o mais sincera possível aqui...
    eu não sou a sua melhor amiga e nem vou tentar ser pq vi que vc está sofrendo, mas queria que vc soubesse que eu me importo com vc, que tenho ótimos momentos na memória na sua companhia e tb um exemplo de dedicação e bom humor.
    feliz dia do amigo(mesmo que não seja de uma amiga mto próxima) =)
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Sei das trocas que faz pra nos fazer bem,e acho que todos sabem mas não dizem...
    Quero que saiba que eu vejo,me importo e percebo também pois não sou nada besta.


    Espero ser um destes "caros amigos"e deixo aqui meu recado!
    BeiJO!
    Renan Beato.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Por que namoramos?

Sobre um ano difícil, um ano pesado.

Sobre as pessoas que nos cercam...